O que são os Kvevris

O que são os Kvevris

Hoje é dia de mais vinho por aqui. Porém não vamos falar exatamente de um vinho, e sim de um recipiente ancestral: o KVEVRI.

Venha com a gente saber o que é um kvevri, onde e para que eles são usados. 

Para isso vamos te levar mais uma vez lá para a Geórgia. Digo mais uma vez, pois já fizemos um artigo falando sobre os vinhos desse país com mais de 6.000 anos de história sobre o assunto que nos apaixona: O MUNDO VINHO!

Os kvevris, são jarras de argila, parecidos com uma ânfora, com um protagonismo muito importante na história da vinificação na Geórgia.

Os kvevris podem ter capacidades variadas, que vão de 300 até 3000 litros. Eles são enterrados no solo e usados tanto para fermentar as uvas como também para envelhecer e conservar os vinhos. 

Eles ficam enterrados do solo para facilitar o controle natural da temperatura, evitando que durante a fermentação a temperatura se leve. 

Os kvevris tem a base com uma forma pontiaguda, que serve para que as semente sejam depositadas ali durante a maceração, ficando cobertas pelas borras mais grossas. Por cima dessas borras se depositam as borras mais finas e essas ficam em contado com o vinho. 

O formato ovalado dos kvevris propiciam a formação de uma corrente em seu interior, ou seja, um processo hidrodinâmico, que permite que todo o vinho se mova e entre em contato com as borras. 

Há muita controvérsia em relação a existência de trocas ou influência entre o material que constitui o kvevri e o vinho. 

O processo de fabricação dos kvevris é lento e requer muita habilidade.

É impressionante a técnica e a habilidade desenvolvida pelos artesãos para a fabricação dos kvevris na antiguidade, que eram feitos a base de água, argila e fogo. Sendo que a parte interna era recoberta por cera de abelha para torná-lo mais hermético. 

Muitas famílias georgianas ainda mantém os kvevris enterrados junto a sua casa guardando a tradição milenar.

Atualmente existem produtores que estão buscando mudar sua  própria filosofia no modo de produção dos vinhos, indo atrás de investigar os métodos ancestrais de produção e estão aplicando essas técnicas na elaboração dos seus vinhos. 

Esse modo de produção se diferencia, em vários quesitos, da indústria dos vinhos “convencionais”. 

Como sempre dizemos, o aprendizado é muito mais completo quando praticamos. Então, é hora de beber um vinho branco, tinto, ou melhor ainda, os dois, elaborados em kvevris e se surpreender!

Bons vinhos 🍷🍷

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!