Castelo de Atalaya – Villena/Espanha

Castelo de Atalaya – Villena/Espanha

O Castelo de Atalaya é também conhecido como castelo de Villena, pois fica no município de mesmo nome. Villena fica na província de Alicante, Comunidade Autônoma de Valência, na Espanha. A distância da cidade de Valência é de 120 km e de Madrid, 370 km.

O castelo foi construído sobre o monte San Cristóbal, tendo uma visão privilegiada da cidade como também da planície e dos morros no entorno da região. Foi em volta do castelo onde começou a se desenvolver a cidade que atualmente constitui o “casco antiguo” (cidade velha).

O Castelo de Atalaya já foi testemunha de batalhas entre reinos, teve um papel importante no conflito valenciano chamado “Agermanats”, assim como durante a Guerra de Sucessão entre Borbones e a Áustria, 50 homens fiéis aos borbones resistiram durante 8 dias ao ataque dos austríacos, no interior do castelo. E por fim, na Guerra de Independência contra a França, o castelo serviu como ponto estratégico.

Ele está em excelente estado de conservação e devido à sua imponência podemos observá-lo de vários pontos da cidade e da região. Aliás, uma das coisas que mais gostamos de fazer é ficar observando e imaginando como era a vida das pessoas, seus hábitos e costumes. Nada melhor que aprender um pouco da história “in loco”.

Arquitetura

A construção mescla a cultura muçulmana e cristã. Graças a escavações arqueológicas realizadas na década de 70 descobriu-se que sua construção data de final do século XII, porém, não é possível precisar a data. Há especulações da possibilidade da fortaleza ter sido construída sobre vestígios de alguma construção romana existente naquela região no passado, porém isso nunca foi comprovado pela arqueologia.

Suas características arquitetônica e geográfica permitiam o controle e a defesa dos territórios a sua volta.

O castelo é constituído de uma construção principal retangular divididos em dois recintos, o pátio central e a torre principal.

Muralha: é dupla sendo que a muralha interna atuava como principal proteção. A outra tem uma altura menor e servia como reforço da muralha interna. Caso o castelo fosse atacado seus ocupantes tinham um melhor controle da situação, onde podiam refugiar-se atrás da segunda muralha e na “Torre del Homenaje”. A primeira muralha é da época islâmica e a anti-muralha foi levantada no século XV. Sobre as muralhas, além de ter um corredor que servia para a circulação e proteção, tem também torres em formatos circulares, onde duas dessas torres tinham a função de proteger a entrada principal do castelo.

Pátio central: no interior da fortaleza tem um pátio central, que tradicionalmente recebe o nome de pátio das armas. O acesso ao pátio é feito através de uma porta marcada com un “alfiz” (ornamento arquitetônico, como uma moldura). Entorno do pátio tem algumas construções que faziam parte da vida cotidiana do castelo, como a cozinha, o depósito de alimentos, a cavalaria, depósito das armas e a hospedagem das tropas. Foi constatada nesse pátio a presença de um forno, de cisternas e poços, que serviam de abastecimento de água. No muro do pátio observamos também alguns nichos onde eram guardados alguns materiais mais pesados.

Torre de la Homenaje: é a torre principal do castelo. Ela é quadrada e suas paredes tem mais de 3 metros de espessura com uma altura de 25 metros. Tem 4 andares, sendo que os dois primeiros foram construídos pelos muçulmanos e as outras duas mais superiores, pelos cristãos.

O teto dos dois primeiros andares estão formados por abóbodas com arcos cruzados, claramente de característica muçulmana.

As paredes das escadas que dão acesso aos andares superiores da torre estão repletas de grafites da época muçulmana e cristã.

O castelo passou por várias modificações, até adquirir o aspecto que tem atualmente, sendo que a mais importantes intervenções em sua arquitetura, aconteceram durante o século XVI.

História

O castelo foi usado pelos muçulmanos desde a época em que a península era dominada por eles até a Guerra da Independência. Em 1240 a fortaleza passou para as mãos e domínios dos cristão, e vale ressaltar que não foi fácil para estes conquistar essa fortaleza. Foram três tentativas, até que enfim, as tropas de Jaime I de Aragón (conhecido como, o Conquistador), conseguiram tomar o castelo.

Uma das histórias mais curiosas que guarda o castelo diz respeito ao escritor dom Juan Manuel. Quando o castelo foi tomado pelos cristãos, o infante de Castilla dom Afonso, concedeu o castelo para seu irmão Juan Manoel, que passava seu tempo se dedicando a duas ocupações principais: a literatura e a caça. Ele reforçou as defesas do castelo para alojar sua prometida, que era uma jovem, de apenas 6 anos, filha de Jaime II de Aragón, até que ela alcançasse a maioridade e pudesse se casar com ele. Quando a jovem Constanza completou 12 anos, eles se casaram. Coisas daquela época em que os casamentos eram acordados para que as famílias mantivessem e aumentassem seu poder.

Em 1931 o Castelo de Atalaya foi declarado “Monumento Histórico Artístico”.

As visitas ao castelo são realizadas com um guia e os ingressos devem ser comprados no Centro de Recepção de Visitantes, que fica junto ao castelo em frente ao estacionamento, e vale ressaltar que este tem pouquíssimas vagas, porém é permitido estacionar em algumas ruas próximas, no casco antigo. Quando visitamos o castelo, as entradas custaram € 3,00 por pessoa, mas sempre recomendamos que verifiquem tanto os dias e horários das visitações, como o preço dos ingressos atualizados. Aquí está o link do site oficial www.turismovillena.com.

O castelo fica na Plaza de las Embajadas s/n Villena – Alicante.

Aproveite também para dar uma volta pelo “casco antiguo” e na parte nova da cidade.

A cidade de Villena oferece algumas opções de hospedagem, porém como a região tem outros castelos e rotas enoturísticas bem interessantes, aconselhamos a cidade de Alicante para se hospedar, pois além de mais ofertas, fica a apenas 62 km de Villena.

Assista nosso vídeo sobre este castelo em nosso canal no YouTube.

Salud!! 🏰🏰

Booking.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!