Castelo de Pierrefonds – França

Castelo de Pierrefonds – França

O Castelo de Pierrefonds fica na cidade de mesmo nome, no Departamento de Oise, a 95 km de Paris, na França.

Visitamos o castelo em 2 horas e depois recomendamos uma visita a cidade que fica grudada ao castelo e é muito charmosa, com deliciosos cafés e restaurantes.

Uma das curiosidades do castelo é que ele serviu de cenário para gravação da série e filmes como Merlin, a História de Joana D’Arc, Highlander e O homem da máscara de ferro.

História

Em 1393, Luis de Orleans, segundo filho de Carlos V, mandou construir uma mansão fortificada perto de Compiègne. A função de Pierrefonds nessa época era servir de vigilância das pessoas que transitavam entre Flandres e a Borgogna, feudos que pertenciam aos duques da Borgogna e inimigos dos Orleans.

Em 1616, o castelo foi invadido e logo depois abandonado e quase totalmente destruído. Até que em 1810 foi adquirido por Napoleão I.

Finalmente no século XIX, Napoleão III com muito interesse nas ruínas românticas, transformou Pierrefonds em sua residência ocasional e posteriormente em museu aberto ao público.

Em 1857, o castelo de Pierrefonds foi totalmente restaurado pelo arquiteto Viollet-le-Duc, que fez um projeto baseado na doutrina arquitetônica da Idade Média. Ele não chegou a concluir o projeto pois faleceu em 1879, e seu genro Ouradou foi quem deu continuidade a obra.

A construção e arquitetura

Este slideshow necessita de JavaScript.

O castelo tem estilo neogótico com a maioria das características da arquitetura defensiva militar da Idade Média.

  • O Pátio de Honra:
    • com uma decoração inspirada no Renascimento é formado pela Torre da Homenagem (a sudoeste), o grande corpo das residências onde encontramos os grandes salões (a noroeste), a parte das cozinhas (a nordeste) e a capela e o pátio dos suprimentos (ao sul).
  • O Pórtico:
    • formado por três pilares criados por Viollet-le-Duc que ilustra o Roman de Renart (conjunto de poemas francês ambientado numa sociedade de animais que imitam a humana).
  • A Capela:
    • é o único prédio de culto conhecido onde a tribuna está situada em cima do coral. No pilar central da porta, Viollet-le-Duc está representado com um hábito de peregrino.
  • A Torre de Homenagem:
    • O salão de recepção: o primeiro andar é ricamente decorado. O teto é decorado com esculturas bem próximas a art nouveau, porém com uma antecedência de quase 50 anos.
    • O gabinete: encontramos aí os moldes de gesso usados por Viollet-le-Duc para fazer as estátuas que decoram o castelo.
    • O guarda roupa do imperador: era de madeira com a parte superior toda esculpida.
    • O quarto do imperador: é decorado com pinturas de cenas da vida de um cavaleiro do século XIV.
    • As salas dos dispositivos
    • A sala de caças: onde estão uma coleção de armas
    • A sala das “Preuses”: antiga sala da justiça, encarna a grandiosidade das festas do Segundo Império. Possui uma chaminé de dois andares decoradas com estátuas da imperatriz Eugênia e suas damas de companhia.

Recriando a Idade Média

As torres foram reconstruídas a partir das antigas já existentes, que tornam o castelo um edificio com um excepcional sistema de defesa: um duplo reforço da muralha e das torres, caminho de ronda em dois níveis com matacanes, que é uma parte que sobressai a muralha ou a torre, com uma abertura no piso que era usada para se defender do inimigo ou seja, por essa abertura podiam visulaizar o inimigo sem precisar se expor e lançar suas armas de defesa.

  • Torre Alexandre: era a torre onde se localizava a mazmorra.
  • O caminho da ronda: era coberto por um telhado que protegia os soldados dos projéteis lançados pelos inimigos.
  • Sala do quartel: destinada para alojamento das tropas.
  • As escadas: de inspiração Renascentista.
  • A sala dos guardas: destinada para alojar os soldados.
  • A maquete do castelo: foi feita de pedra para a Exposição Universal de 1878 por Wyganowiski, inspetor das obras. A partir dela podemos ter uma ampla visão da planta do castelo, com seu formato quadrilátero rodeado por 8 torres, que recebem o nome dos oito “Preux”, que eram os famosos cavaleiros: Arthur, Alexsandro, Godofredo de Bullón, Josué, Héctor, Judas Macabeo, Carlos Magno e Julio Cesar.

Exposições permanentes: Monduit

As obras desta coleção estão expostas no primero andar, na Sala dos Convidados e na capela.

Estimulados pelos arquitetos, as oficinas Monduit renovaram as técnicas de arte.

Em Pierrefonds estão expostas importantes obras graças a doação de Pasquier-Monduit. As peças apresentadas não são cópias e sim, peças autênticas duplicadas para serem apresentadas ao público nas exposições universais.

Visitar o castelo

Como sempre falamos aqui: lembre de verificar a necessidade ou não de adquirir ingressos antecipadamente (dependendo da época do ano pode ser muito importante adquirir antecipadamente), e para facilitar nós disponibilizamos o site oficial do castelo: www.chateau-pierrefonds.fr/es/ (pode ser acessado em francês, inglês ou espanhol).

Se você deseja planejar sua viagem para este ou outros destinos, utilize os links dos nossos parceiros, sem nenhum custo adicional (estará ajudando na manutenção de nosso conteúdo) ➨ MONTE SUA VIAGEM.

Confere também o vídeo que fizemos no castelo. Já disponível em nosso canal no YouTube.

Salud!! 🏰🏰

Booking.com

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!