O vinho e as barricas de madeira

O vinho e as barricas de madeira

Sempre ouvimos falar que os vinhos durante sua produção, passam determinado tempo em barricas de madeira, que podem ser chamadas de diversas formas: botas, pipas, barris, tonéis…

E você sabe por quê?

Afinal, qual a importância delas para os vinhos e porquê existem vários tipos e tamanhos? Será que o vinho que passou por barricas de madeira tem mais qualidades que os outros?

Hoje vamos falar então sobre a relação que os vinhos tem com as famosas barricas e você vai saber de fato, o que isso tem a ver com o vinho que você está bebendo.

Vamos começar explicando que as barricas de madeira são recipientes que podem ser usados tanto durante a fermentação como no processo de envelhecimento dos vinhos.

Quem decide em que etapa e quanto tempo o vinho vai ficar na barrica será o enólogo, dependendo do tipo de vinho e das características que se deseja dar ao vinho que se está produzindo.

O importante é sabermos que a qualidade do vinho não será dada somente pelo tempo que o vinho ficou em contato com a madeira. A qualidade de um vinho vai depender de outros fatores, inclusive, tem vinhos excelentes que não tem contanto com a madeira.

Qual a importância  das barricas de carvalho para os vinhos?

A barrica de madeira é usada quando se procura características aromáticas específicas e que se somem aqueles aromas que vem da uva e da fermentação do vinho. O importante é que se mantenha o equilíbrio entre os aromas provenientes da madeira e que estes não anulem nem prevaleçam sobre os outros aromas já existentes, melhorando as propriedades organolépticas do vinho.

A barrica de madeira é responsável pela formação do bouquet durante o envelhecimento dos vinhos.

A madeira também permite certa entrada de oxigênio (oxidação) importante para a evolução do vinho e pela evaporação (perda de água).

Quais os tipos de barricas são usadas na elaboração dos vinhos?

O principal tipo de madeira utilizado é o carvalho que pode ter diversas procedências: pode ser francês, americano, caucasiano, entre outros.

Além do carvalho, existem outros tipos de madeira que também são utilizadas para fabricação de barris, porém em menor quantidade, pois tem o inconveniente de ceder aos vinhos muitos aromas dominantes.

O que as barricas aportam aos vinhos?

A madeira vai proporcionar ao vinho mais complexidade e aporte de taninos, além de que, cada tipo carvalho cede ao vinho aromas diferentes:

  • carvalho francês: aromas de avelã, mel, baunilha, pão tostado, manteiga, especiarias mais doces.
  • carvalho americano: aromas de especiarias como cravo, canela e coco, além de café, tabaco e baunilha.

O grau do tostado da madeira também vai influenciar no aroma e no sabor, como por exemplo, no dulçor e estrutura do vinho.

O tamanho das barricas fazem alguma diferença?

O tamanho da barrica vai determinar a capacidade oxidativa.

Nas barricas menores há um maior contato da superfície do vinho com a madeira, portanto a influência gustativa da madeira vai ser maior.

Em algumas regiões o tamanho das barricas se tornaram clássicos, por exemplo:

  • Barricas bordalesas: 225 litros
  • Barricas da Borgogna: 300 litros

Vamos ouvir falar em vinhos feitos em “barricas usadas” e “barricas novas”. E o que isso agrega no vinho?

Os vinhos podem ser envelhecidos em barricas de madeira novas, que nunca foram usadas ou em barricas que já tem algum tempo de uso. O importante é sabermos que quanto mais tempo de uso, menor é o aporte de aromas da madeira e de estrutura.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!