O que é classificação das safras

O que é classificação das safras

Chamamos de safra o ano correspondente a colheita, ou seja, o ano que as uvas foram colhidas para se produzir determinado vinho. 

Mas qual será a razão e para que serve classificar como foi o ano de cada colheita? 

Qual ao resultado prático que isso vai ter no vinho que vamos beber?

Vamos falar hoje sobre o objetivo da classificação das safras assim como o impacto que ela vai ter nos vinhos. 

Geralmente a classificação de safras é realizada anualmente pelos conselhos reguladores das Denominações de Origem, que avaliam cada safra de acordo com as condições climáticas, se essas condições foram ou não favoráveis para o cultivo da videira, se ocorreu algum problema generalizado durante o cultivo, etc…

Na prática, as condições climáticas tem um impacto fundamental em cada colheita. Por exemplo, se analisamos vinhedos de uma determinada região que possui um índice pluviométrico baixo (quase não chove) e em um ano específico a pluviometria foi bem mais alta que o normal (choveu mais), isso vai ter um impacto nas características dos vinhos daquela região.

Além dessa avaliação climática anual os vinhos passam por análise laboratorial e depois por degustações realizadas por especialistas. 

Depois disso é feita a classificação da safra.

As colheitas/safras são geralmente classificadas em:

  • Excelente
  • Muito boa 
  • Boa 
  • Regular 
  • Deficiente

Na nossa opinião, essas classificações de safras também não deixam de ter objetivo comercial, ou seja, muitas vezes é usada como argumento de venda. 

Para o consumidor seria prudente ter cautela e não se guiar somente por essa classificação de safras para avaliar se um vinho é bom ou ruim, pois a classificação é uma avaliação bem generalizada que não leva em conta outros fatores que vão influenciar na qualidade do vinho. 

Para nós o mais adequado seria usar as informações dos guias das colheitas como uma orientação a mais e não única. 

Fatores como as técnicas empregadas para elaboração dos vinhos, assim como o microclima de um vinhedo específico, entre outros fatores, também tem impacto sobre a qualidade final do vinho. 

Uma safra ruim não significa que os vinhos não sejam bons. Nesse caso, o esforço dos produtores terá que ser maior para que se obtenha bons vinhos. É difícil? Sim, mas é possível.

O contrário também pode acontecer, uma safra excelente não significa que o vinho seja de alta qualidade, pois isso vai depender de como foi a condução e os cuidados dispensados pelo produtor na elaboração do vinho. 

Portanto se basear somente na classificação das safras nos parece “imprudente” para julgarmos se o vinho é bom ou ruim. 

Bom senso é tudo!!

Bons vinhos 🍷🍷

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!