Como conservar seu vinho

Como conservar seu vinho

A questão da conservação dos vinhos está sempre rodeando as pessoas que curtem o mundo do vinho. Mesmo aquelas que são apenas bebedores, se preocupam como e por que devemos armazenar de maneira correta as garrafas de vinhos para conservá-las da melhor maneira possível.

Bom, então vamos começar falando um pouco sobre alguns defeitos que os vinhos eventualmente podem ter, pois alguns deles podem surgir devido a algum problema durante a elaboração, a conservação ou armazenagem inadequada.

Defeitos dos vinhos durante a elaboração

Os vinhos que apresentam algum defeito tem sempre alguma alteração organoléptica, ou seja, alguma mudança de suas características, que vamos perceber a partir das impressões sensoriais (visão, olfato e paladar).

As alterações ou defeitos nos vinhos podem ter sua origem em:

  • alterações microbianas
  • alterações físico-químicas

Vamos então citar algumas dessas alterações que podem ser sentidas com maior ou menor intensidade.

  1. Vinho avinagrado (acidez volátil, “picado acético”): quando existe uma grande quantidade de ácidos voláteis, principalmente o ácido acético no vinho de forma desequilibrada, o vinho adquire aroma e gosto de vinagre.

Causa: acontece quando uma bactéria chamada Acetobacter aceti  ataca o vinho, por exemplo quando deixamos a garrafa de vinho aberta em contato com oxigênio por um longo tempo ou um vinho foi submetido a temperaturas altas.

Vista: as vezes apresenta uma ligera turbidez.

Cheiro: penetrante de vinagre.

Gosto: sabor de vinagre forte e ácido.

  1. Oxidação: acontece quando o vinho fica exposto ao oxigênio por muito tempo e pode ocorrer durante sua elaboração ou após o engarrafamento.

Vista: os tintos ficam com a coloração marrom apagado e os brancos ficam dourado escuro.

Cheiro: o vinho apresenta aroma apagado e plano.

Gosto: perde a acidez se tornando um pouco amargo e “apagado”.

  1. Defeito da rolha: também conhecida como bouchonné, ocorre quando o vinho entra em contato com a rolha que está infectada por bactérias ou por exemplo pelo fungo TCA (tricloroanisol). Esse defeito pode ocorrer em maior ou menor intensidade e se intensifica a medida que o vinho entre em contato com oxigênio.

Cheiro: apresenta cheiro de mofo ou papel molhado.

Gosto: o vinho fica sem gosto e sem sabores frutados.

  1. Sulfuroso: ocorre quando há um excesso na utilização de SO2 (dióxido de enxofre ou anidrido sulfuroso) também conhecido como sulfito (que diga-se de passagem, está bem polêmico atualmente, mas isso é assunto para outro artigo) que é uma substância utilizada na elaboração dos vinhos para prevenir a oxidação e estabilização.

Cheiro: apresenta cheiro do palito de fósforo queimando, ovo podre.

Gosto: textura áspera, com gosto de repolho e insosso.

Como armazenar seu vinho

Conservar o vinho em garrafa é parecido como manter qualquer outro alimento até o momento do seu consumo, ou seja, temos que dispensar alguns cuidados.

Como sabemos que os vinhos vão evolucionando em garrafa (alguns por mais e outros por menos tempo), o importante é aprendermos algumas dicas para armazená-los de maneira adequada.

O uso de adega climatizada é uma alternativa (desde que não faça ruídos). Porém os vinhos podem ser armazenados em outros lugares, basta prestar atenção à alguns requisitos que vão ajudar muito para uma correta conservação até o momento que você decida bebê-lo e desfrutá-lo da melhor maneira.

  1. Temperatura: a temperatura ideal para conservar seu vinho é entorno de 8ºC a 16ºC e que seja constante, evitando assim lugares onde haja muita variação de temperatura. Por esse motivo a cozinha não é uma boa opção.
  2. Ruídos e vibrações: procure um ambiente livre de ruídos e vibrações pois produzem a chamada “fadiga do vinho”.
  3. Iluminação: procure um lugar livre da exposição direta de luz. Um ambiente mais escuro é o ideal e dessa forma evitamos reações químicas indesejadas e a oxidação do vinho.
  4. Humidade: busque um lugar onde a humidade seja baixa para que não se produza mofo na rolha e consequentemente odores ruins e bactérias que prejudicam o vinho. O ideal é que a humidade esteja entorno de 70%, pois uma humidade baixa demais pode provocar um ressacamento e contração da rolha permitindo um contato do vinho com o oxigênio que será prejudicial ao vinho.
  5. Posição: guardar as garrafas na posição horizontal é o ideal para mantermos a rolha húmida devido ao seu contato com o vinho. A excessão é para os vinhos espumantes (Champagne, Cava,…), esses devem ser mantidos na posição vertical pois essa posição favorece a conservação do gás carbônico.

 Tipos de vinhos e por quanto tempo posso guardá-lo

Também é importante levarmos em consideração o tipo de vinho, pois cada um tem suas particularidades em relação ao tempo de armazenagem. Saber quanto tempo podemos guardar um vinho é importante para evitarmos frustrações, por exemplo, se guardamos por um tempo prolongado um vinho que foi elaborado para ser consumido jovem, vamos ter uma surpresa desagradável, pois o vinho pode já não estar próprio para o consumo.

O tempo de guarda dos vinhos dependem de vários fatores, entre eles a própria técnica enológica de elaboração, variedade de uva, etc.

Como existem uma infinidade de rótulos disponíveis no mercado vamos listar aqui  algumas regras gerais pois cada vinho pode evoluir a sua maneira:

  1. Vinho tinto jovem e branco não fermentado e/ou envelhecido em barrica: consumir de 1 ou 2 anos.
  2. Vinho branco com mais extratos (maceração/envelhecimento em barrica): 2 anos ou um pouco mais.
  3. Espumante jovem: 1 a 3 anos. Já os que tiveram algum processo de envelhecimento podem esperar um pouco mais.
  4. Vinho tinto reserva: 8 a 10 anos.
  5. Vinho tinto gran reserva: 15 anos ou mais.

Como conservar seu vinho depois de aberto

É uma dúvida bastante frequente é como conservar seu vinho depois de aberto. Porém não é um bicho de sete cabeças. O ideal é consumir toda a garrafa. Mas às vezes, queremos tomar nosso vinho sozinho e quando não é possível beber tudo, podemos sim conservar nosso vinho depois de aberto.

O que acontece com o vinho depois de aberto é que ele entra em contato com o oxigênio, o que vai provocar uma perda gradativa de sabores e aromas.

O primeiro ponto é qual o tipo de vinho iremos conservar. Isso vai nos permitir saber quanto tempo teremos para consumir aquele determinado vinho depois de aberto:

  • Vinho branco ou rosado: em torno de 3 dias.
  • Vinho tinto jovem: podem durar até 1 semana.
  • Vinho tinto envelhecido: em média 3 dias.
  • Vinho espumante: 1 dia.

Temos que fazer um vedamento hermético da garrafa depois de aberta e para isso aconselhamos o uso de alguns acessórios:

  • Bomba a vácuomuito bom e com um excelente custo-benefício, composto de tampões de plástico com uma bomba para remover o ar (oxigênio), facilmente encontrado na Amazon, Basta clicar na imagem para conferir.
  • Coraviné o melhor sistema, porém o preço é muito elevado, se desejar basta clicar na imagem para comprar.
  • A própria rolhaé a maneira mais barata, porém a menos eficaz.

Depois de vedada a garrafa devemos conservá-la em posição vertical na geladeira ou em uma adega climatizada a uma temperatura constante de 8º a 12º.

Bom, essas foram algumas dicas para que você possa armazenar e conservar bem seus vinhos de maneira correta e possa também desfrutar deles da melhor forma, mesmo não querendo beber uma garrafa inteira, agora você já sabe como fazer para guardá-la e desfrutá-la em outra ocasião.

Continue acompanhando nossos vídeos no YouTube, e também nossas postagens diárias no Facebook e Instagram para se manter informada(o) diariamente sobre o delicioso mundo do vinho.

Depois divida conosco como estão sendo suas experiências com os vinhos, pois como sempre dizemos aqui, aprender mais sobre o mundo do vinho nos faz aproveitar ainda mais as delícias e os beneficios dessa bebida incrível.

Caso tenha alguma dúvida é só me enviar um e-mail, ou se preferir um WhatsApp.

Salud!!🍷🍷

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!