Vinhas velhas e seus vinhos

Vinhas velhas e seus vinhos

A conversa de hoje é sobre a idade das videiras, mas precisamente a relação entre os vinhos e as videiras velhas.

Vamos te contar o que são consideradas videiras velhas e qual o impacto que a idade da vinha vai provocar nos vinhos. 

Para começar é preciso entendermos um pouco como funciona em concreto a planta, nesse caso, a videira cujo fruto é a uva que usamos para fazer os vinhos.

As vinhas começam a produzir uvas apropriadas para se fazer vinho com certa qualidade, mais ou menos após os 5 anos. 

A videira tem em média 50 anos de vida com boa produtividade, depois disso vão atingindo sua velhice e algumas podem chegar a mais de 100 anos.

É claro que conforme vão envelhecendo, as videiras vão diminuindo a produtividade, ou seja, produzem menos uvas. Em contrapartida com o passar do tempo, a videira vai concentrando todo seu “conhecimento”, gerando menos uvas, porém essas uvas tem muita qualidade.  

E aí está o detalhe que faz toda a diferença: essas uvas de vinhas velhas são capazes de gerar vinhos:

  • com muita complexidade de aromas e sabores;
  • com bom potencial de envelhecimento;
  • equilibrados.

Alguns produtores, quando o vinho é elaborado a partir de uvas de vinhas velhas, mencionam nos rótulos as seguintes expressões (de acordo com os diferentes idiomas):

  • vieilles vignes
  • cepas velhas
  • alte Reben
  • viñas viejas

Ahh!! Importante pontuar: para que um vinho tenha qualidade, não basta que ele apenas seja produzido a partir de uvas de videiras velhas. Tem muitos outros fatores envolvidos e que são relevantes para que o vinho tenha qualidade. 

Vinhedos jovens também oferecem vinhos de boa qualidade dependendo de como o produtor conduz a viticultura e a enologia. 

Um bom exercício para você praticar é comparar vinhos do mesmo produtor, elaborados com a mesma variedade de uva, sendo um de vinhas velhas e outro de videiras mais jovens. 

Bons vinhos 🍷🍷.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!