A versatilidade da Chardonnay em D.O. distintas – degustação

A versatilidade da Chardonnay em D.O. distintas – degustação

Vamos realizar a degustação de três vinhos monovarietais Chardonnay de Denominações de Origem distintas da Espanha. Falaremos um pouco sobre cada D.O. e sobre cada produtor, em seguida vamos descrever a degustação dos vinhos e suas diferenças sensoriais.

Os vinhos são:

  1. 1707 Chardonnay Barrica 2016 – D.O.Almansa (Bodega Hacienda el Espino)
  2. Chardonnay Nekeas Cuvée Allier 2016 – D.O. Navarra (Bodega Nekeas)
  3. Chardonnay Enrique Mendoza 2017 – D.O. Alicante (Bodega Enrique Mendoza)

As Denominações de Origem:

IMG_2373IMG_2372

  • D.O.Almansa (província de Albacete, Comunidade Autónoma de Castilla La Mancha):

700/1000 metros de altitude sobre o nível do mar e inclui parcelas localizadas em oito municípios. O clima é continental caracterizado por verões muito quentes e terrenos com fertilidade baixa e escassa precipitação, o que permite obter vinhos com muito aroma e intensidade de cor bastante alta. A terra é rica em calcário, pobre em matéria orgânica, apresenta zonas com pouco substrato, pedregosa, arenosa e profunda. A maioria dos vinhedos se encontram em terreno plano, mas algumas videiras também podem estar em ladeiras próximas.

IMG_2377IMG_2376

  • D.O.Navarra (província de Pamplona, Comunidade Autonoma de Navarra):

apresenta uma grande variedade de paisagens e climas situada, ao norte da região de Pamplona e ao sul, encravada na ribeira do Ebro. É onde se produz a confluência dos climas atlântico, continental e mediterrâneo. A proximidade do Cantábrico, a influência dos Pirineus e a bonança do vale do Ebro permite uma variedade de climatologia. Nos anos 80 foram introduzidas variedades foráneas como a Chardonnay, Merlot e Cabernet Sauvignon, que começaram a conviver com as tradicionais Viura, Tempranillo e Garnacha.

IMG_2375IMG_2374

  • D.O.Alicante (província de Alicante, Comunidade Autônoma de Valencia):

os solos são arenosos com elevada porosidade o que facilita a drenagem evitando a proliferação de fungos. O clima é temperado, luminoso e quente com humidade relativa muito propícia para o desenvolvimento dos vinhedos. As variedades mais plantadas são: Moscatel de Alejandría, Monastrell, Garnacha, Chardonnay, Merseguera (Macabeo), Sauvignon blanc, entre outras.

As bodegas:

  • Hacienda el Espino: a bodega é rodeada por seus próprios vinhedos o que reduz o tempo de exposição das uvas ao ambiente no período da colheita, portanto diminui a perda da qualidade. O nome 1707 dado aos seus vinhos são uma homenagem à terra na qual se cultivam as videiras e onde aconteceu um episódio de grande importância histórica pois foi alí que se passou a batalha crucial da Guerra de Sucessão Espanhola, onde Felipe V conseguiu a vitória e proclamou sua coroação ao trono da Espanha.

  • Bodega Nekeas: por sua excelente localização, seu clima e suas características geológicas, o vale do Nekeas é uma grande zona espanhola produtora de vinho de qualidade. Os atuais proprietários têm relação com os vinhos e as videiras, vindo de gerações em gerações. Hoje Nekeas une história e modernidade. A Chardonnay encontrou uma zona privilegiada para seu cultivo com noites frias no verão e temperaturas diurnas ótimas para a maduração. Seu envelhecimento é feito em tonéis de roble francês do bosque de Allier, o que aporta finura e elegância ao Chardonnay.

  • Bodega Enrique Mendoza: o projeto da bodega nasceu nos finais da década de 70 quando Enrique se interessou pelo mundo da enologia. Hoje tem duas bodegas, uma em Villena onde é produzido o vinho chardonnay que vamos degustar, e a outra em Alfaz del Pi com vinhedos próprios, aplicam técnicas mais depuradas mediante o controle das plantas e da viticultura de precisão produzindo uvas muito naturais, sem inseticidas e herbicidas.

Análises sensoriais:

  • 1707 Chardonnay Barrica (12 meses em barrica)

         14,5% volume alcoólico

         Vista: amarelo dorado, brilhante e cristalino.

         Nariz: cravo, frutas secas, flores e couro

         Boca: fresco, equilibrado, boa acidez e amplo em boca. Tem retrogosto
         bem marcado.

  • Chardonnay Nekeas Cuvée Allier (5 meses em barrica)

        14% volume alcoólico

        Vista: amarelo pálido brilhante

        Nariz: maçã, notas de baunilha e toque defumado

        Boca: bem amplo, “secão” e uma certa untuosidade. Delicado com um final
persistente.

  • Chardonnay Enrique Mendoza

        13% volume alcoólico

        Vista: amarelo dourado

        Nariz: fruta como abacaxi, frutas secas e notas de pão

        Boca: seco, com acidez equilibrada e persistência moderada.

Harmonização:

  • O Chardonnay de Alicante, que não passa por barrica, harmoniza com peixe ou frango assado ou spaguetti à carbonara.

  • O vinho de Navarra, que tem uma breve passagem por barrica, combina muito bem com molhos de creme de leite ou manteiga, com pescados e mariscos ou churrasco.

  • O Chardonnay de Almansa tem um envelhecimento de 12 meses em barrica, o que faz com que ele fique delicioso de ser saboreado sozinho pois tem muitos aromas e sabores a serem descobertos, porém acompanha bem paellas ou massas.

O importante para ir se acostumando a perceber os aromas e sabores que caracterizam os vinhos elaborados com determinada variedade de uva é ir bebendo e aprendendo. Aqui no Blog temos algumas opções onde você pode adquirir seus vinhos de forma on-line.

Este e outros vídeos está disponível no nosso Canal no YouTube. Muitos vinhos a todos! Salud 🍷🍷.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário