Chenin Blanc – uma variedade de uva subestimada

Chenin Blanc – uma variedade de uva subestimada

Hoje é dia de conversarmos sobre essa variedade de uva que como diz Jancis Robinson, é uma uva subestimada, já que é cultivada em quase todas as regiões vitivinícolas do mundo.

Na minha opinião a Chenin Blanc é interessante pois é uma variedade cheia de personalidade e com muita versatilidade, que exige dos enólogos uma boa destreza para “domá-la”. E de fato se o produtor conseguir lidar com seus caprichos, consiguirá vinhos bastante interessantes.

Vou te contar um pouco sobre a origem dessa variedade, as principais regiões no mundo onde ela é cultivada, as características dos vinhos elaborados a partir dela e a diferença entre eles nas diferentes regiões, como você pode combinar um chenin blanc com comidas e no final do artigo tem uma degustação de um vinho varietal de uma região bem inusitada para o cultivo dessa uva, mas que valeu muito a pena.

Origem

Essa variedade de uva branca é uma meia-irmã da Sauvignon Blanc e tem sua origem na região de Anjou, onde era cultivada na Idade Média mais precisamente no monastério beneditino de Glanfeuil, no Vale do Loire (França) e era conhecida por Pineau do Loire e provavelmente foi uma mutação da variedade tinta Chenin Noir.

Recebeu esse nome, Chenin Blanc, provavelmente devido ao seu cultivo ter sido estendido até o Mont Chenin pelos monges de Cormery.

Essa variedade é muito cultivada nos países do Novo Mundo, principalmente na África do Sul, onde foi introduzida por protestantes franceses e atualmente, a Chenin Blanc é mais cultivada fora da França.

A Chenin Blanc também é conhecida por outros nomes como: Pineau Vert, Pineau d’Anjou, Pineau de la Loire, Rousselin, Steen, Vouvray, entre outros.

Chenin Blanc no Vale do Loire

Como dissemos acima, essa região na França é o berço da Chenin Blanc e ali encontra excelentes condições climáticas e solos adequados para seu desenvolvimento. Então agora vamos falar sobre cada região onde essa variedade é cultivada dentro do Vale do Loire, onde os vinhos tem personalidade, são frescos e possuem uma boa capacidade de envelhecimento. Quando o clima favorece a formação de névoa próximo ao rio, as uvas podem ser atacadas pelo fungo Botrytis cinerea gerando vinhos com notas de bala de jengibre.

  1. região de Anjou:
  • zona de Coteaux du Layon: aqui a Chenin Blanc concentra açúcar devido ao clima (ventos secos que vão em direção ao Oceano Atlântico).
  • zona de Quarts de Chaune: é o oficial premier gran cru do Vale do Loire.
  • zona Savennières: vinhos bastante secos, densos e com estrutura bem rígida. Com muita concentração e acidez, o que aumenta seu potencial de envelhecimento. E quando a acidez é considerada muito alta para elaboração de vinhos tranquilos, se elaboram vinhos espumantes. Nessa região também são produzidos alguns vinhos com a Chenin Blanc com um toque proposital de oxidação, que vão aportar ao vinho, nesse caso, aromas de maçã machucada.
  1. região de Saumur:
  • nessa região toda a produção de Chenin Blanc é destinada para a elaboração de vinhos espumantes. A Chenin Blanc produz espumantes com borbulhas mais sutis – conhecido como Cremant de Loire – que é uma Denominação de Origem, onde são elaborados os melhores espumante da região devido ao controle mais rigoroso de produção.
  1. região de Chinon: a Chenin Blanc é a uva branca predominante nessa região com vinhos bem interessantes.
  2. regiões de Vouvray e Moutlois: nessas regiões são produzidos vinhos naturalmente doces de Chenin Blanc com aromas de mel e com grande potencial de guarda.

Chenin Blanc na África do Sul

A Chenin Blanc é a variedade branca mais cultivada na África do Sul e foi levada da França até lá pelos huguenotes (seguidores da doutrina calvinista francesa) no século XVII. Os vinhos Chenin Blanc sul-africanos costumam ter maior acidez, são menos aromáticos e tem uma menor intensidade que os exemplares do Loire. Quando elaborados a partir de videiras mais velhas costumam ser mais interesantes, porém grande parte do cultivo dessa variedade é destinada para produção de destilados.

Encontramos também a Chenin Blanc fazendo parte do corte para a fabricação de espumantes no método Cap Classique.

  1. Cidade do Cabo: aqui essa variedade sofre influência do Oceano Atlântico, o que ajuda a manter sua alta acidez.
  2. região de Swartland: localizada ao norte da Cidade do Cabo. É a região onde encontramos videiras de Chenin Blanc cultivadas em ladeiras ricas em granito.
  3. região de Stellenbosch: região que apresenta uma variedade grande de terroirs, onde a Chenin Blanc é ainda bastante cultivada, principalmente no vale ocidental, porém não tanto como no passado.

Chenin Blanc em outra regiões 

A Chenin Blanc tamém pode ser econtrada em outros países como:

  • Estados Unidos: é largamente cultivada principalmente na Califórnia, porém gerando vinhos neutros e sem acidez.
  • Argentina: é uma das variedades brancas plantadas na região vitivinícola de Mendoza.
  • Austrália: a Chenin Blanc é cultivada nesse país para ser mesclada com outras variedades brancas na produção de vinhos.

Características da Chenin Blanc

É uma variedade que tem uma maduração lenta e mantém uma alta concentração de açúcar e acidez com uma grande capacidade de envelhecimento.

As cepas possuem um vigor mediano com cachos de tamanho médio e compactos. As uvas tem casca fina com uma coloração verde dourada.

Encontramos tanto vinhos tranquilos secos, doces e semi-doces como também espumantes, que podem ser varietais (elaborados apenas com uma variedade de uva) ou um corte (duas ou mais variedades de uvas).

É uma variedade que precisa de muito sol para completar seu amadurecimento e com isso não apresentar uma acidez excesiva, e como já dissemos acima, o Vale do Loire apresenta as condições ideais. Lembrando que por ser uma variedade bastante versátil, a Chenin Blanc permite a elaboração de vinhos com estilos completamente diferentes.

A Chenin Blanc aporta as seguintes características aos vinhos:

  • Análise visual: apresenta cor amarelo levemente esverdeado.
  • Análise olfativa: geralmente apresenta aromas dominantes de frutas como limão, pêra e maçã mais madura. Flores como camomila e toques de mel.
  • Análise gustativa: percebemos um vinho frutado, com uma acidez vibrante que proporciona bastante frescor.

Degustando um Chenin Blanc

O vinho monovarietal de Chenin Blanc que escolhemos para degustar foi o exemplar espanhol Metamòrphika Chenin Blanc 2017, que pertence a Denominação de Origem Catalunya e o produtor é Costador Terroirs Mediterranis que desenvolve uma interessante enologia proveniente de uma agricultura ecológica e biodinâmica.

Esse vinho é elaborado a partir de uvas de videiras mais velhas, de 63 anos de idade de vinhedos de altitude. Ele foi vinificado em ânforas, macerado com as cascas e envelhecido por 6 meses em barricas de roble francês já com um certo uso.

Então chegou a hora de beber e saber quais são as características desse rótulo tão interessante.

A primeira coisa que já me chamou atenção positivamente é que a garrafa que eles escolheram é de porcelana o que já deu um charme diferente para o vinho.

Agora vamos ver quais foram as impressões sensoriais, ou seja, o que o vinho despertou em nossos sentidos (visão, olfato e paladar):

  • Vista: cor amarelo pálido.
  • Olfato: um aroma bem marcado de pêra e limão, com leve toque floral.
  • Paladar: ele é um jovem intenso, com ótimo corpo, todo cheio de personalidade que faz a boca vibrar devido a acidez super refrescante. E o toque mineral fecha com chave de ouro essa experiência deliciosa que insiste em persistir ainda por um tempinho.

Harmonização com vinho da variedade Chenin Blanc

A partir das características da variedade Chenin Blanc, acidez e dulçor, a primeira combinação que me vem a cabeça seria buscar algo por semelhança entre os sabores do vinho e da comida. Seguem algumas opções:

  • Comidas da culinária oriental que levam molho agridoce
  • Queijo brie em massa folhada com molho de mel e amêndoas
  • Mignon com molho de mel e damasco e Risotto ao Limone
  • Frango ao molho de mel com maracujá

Outras opções que também ficam muito boas por ser um vinho seco e refrescante são:

  • Saladas
  • Peixes
  • Massas com molho branco e queijo

Já os vinhos monovarietais Chenin Blanc doces acompanham bem as sobremesas.

Como sugestão para pôr em prática todas essas informações, sugiro que você escolha um vinho varietal Chenin Blanc (disponível nas lojas on-line de nossos parceiros – confira nossa página “Compre seu Vinho”) e aproveite! Depois compartilhe conosco como foi a sua experiência.

Lembrando que temos um vídeo em nosso canal do YouTube sobre esse artigo com degustação desse vinho. É só conferir lá.

Siga acompanhando nossos artigos e aprenda sobre o mundo do vinho.

Salud 🍷🍷!!!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!