Conceitos essenciais no mundo do vinho

Conceitos essenciais no mundo do vinho

Este artigo faz parte de uma série para aqueles que estão iniciando no mundo do vinho e deseja aprender tudo bem do início.

Do que é composto o vinho?

Já sabemos o que é o vinho. Caso você ainda não saiba, vai lá no artigo “O que é vinho e como classificamos“.

O vinho é composto de substâncias contidas na própria uva e outras que surgem durante o processo fermentativo e envelhecimento do vinho. Vamos citar 9 componentes básicos contidos no vinho:

  • Água: representa de 75-90% do volume total;
  • Álcool etílico: tem sua origem da fermentação alcoólica, da transformação de açúcares em álcool. Representa em média 10 a 15% da composição do vinho;

  • Glicerina ou glicerol: é um outro tipo de álcool que contribui para dar corpo ao vinho, aumentando sua consistência e sedosidade. Também provoca sensação de dulçor e ameniza a acidez e a adstringência.

  • Outros álcoois: alguns álcoois quando se combinam com ácidos formam ésteres, que participam no aroma do vinho;

  • Ácidos: são responsáveis pela conservação do vinho, aporta frescor e influencia na cor, no aroma e no sabor. Os ácidos provenientes da uva são o TARTÁRICO, MÁLICO e CÍTRICO. Os ácidos formados durante a fermentação são ÁCIDO SUCCÍNICO e LÁCTICO.

  • Substâncias voláteis e aromáticas: são substâncias que participam da formação dos aromas do vinho e que procedem das leveduras durante a fermentação alcoólica.

  • Compostos fenólicos: esses compostos estão presentes nas cascas e sementes das uvas. Atuam como corantes e conservantes. Um desses compostos é o TANINO que é responsável pela adstringência (aquela sensação de secura na boca quando comemos uma banana verde, por exemplo), longevidade e complexidade dos vinhos. Destacamos também o RESVERATROL, substância antioxidante que combate os radicais livres, o mau colesterol, diminuindo risco de doenças cardiovasculares, hipertensivas e diabetes.

  • Componentes minerais: são fundamentais para potencializar outros sabores e determinadas sensações, como o frescor.

  • Vitaminas: estão presentes nas uvas e são conservadas no vinho.

A videira e a uva

A videira é uma planta trepadeira que se sujeita a diferentes tipos de suporte. Possui troncos retorcidos, largos e flexíveis, cujo fruto é a uva. Por natureza tem qualidades de um arbusto que o homem conseguiu conduzir para que fosse possível e mais fácil seu cultivo.

A videira tem duas grandes partes:

  • Parte aérea: troco, braços, ramos, folhas e cachos e uvas.
  • Parte subterrânea: sistema radicular

Ela é um cultivo adaptado a regiões de clima temperado. O sol, a temperatura, as chuvas, a humidade, o vento, entre outros fatores (como tipo de solo, por exemplo), influenciam na capacidade das videiras de produzirem frutos de boa qualidade. Normalmente ela é um cultivo adaptado a regiões de clima temperado em cada hemisfério, porém, com o desenvolvimento de técnicas de viticultura cada vez mais sofisticadas e a coragem de alguns produtores, os limites do cultivo tem se expandido e conseguido bons resultados em áreas de clima tropical.

Tipos de uvas

A videira é uma planta que pertence ao gênero Vitis e a espécie para vinificação é a Vitis vinifera, que produz vinhos de qualidade.

Existem outras espécies (Vitis labrusca, Vitis ruprestis, Vitis riparia, Vitis bourquina,…) que são chamadas uvas de mesa ou uvas americanas e são utilizadas para produção de suco e para consumo direto, fresca ou como uvas passas. Essa espécie de uva não tem perfil estrutural para produção de vinho.

Diferenças de vinho de mesa e vinho fino

O vinho fino (ou vinho de mesa fino) é aquele elaborado com uvas Vitis vinifera, e são vinhos de qualidade.

Já o vinho de mesa é elaborado com uvas que não são Vitis Vinifera e sim, com as uvas de mesa ou americanas, que podem produzir vinho, embora não de qualidade como o vinho fino. Isso por uma questão bem simples, as uvas Vitis vinifera tem componentes estruturais mais apropriados para a vinificação e que vão influenciar diretamente na qualidade do vinho, por exemplo, essas uvas são menores e sua casca é mais grossa, concentrando substâncias colorantes e conservantes, essenciais para a elaboração de vinhos de qualidade.

E vamos deixar bem claro que essa classificação de vinho fino e vinho de mesa não tem nenhuma relação com com o teor de açúcar presente nos vinhos. Para saber como é feita a classificação dos vinhos segundo o teor de açúcar, leia o nosso artigo “O que é vinho e como classificamos“.

Agora que você já sabe a diferença entre vinho fino e vinho de mesa, pode aproveitar o conhecimento e começar a comprar seus vinhos.

Vou deixar o link da página onde tem algumas sugestões de lojas on-line bem bacanas, para você fazer suas compras e também, existe a opção de se associar a Clube de Vinhos, onde especialistas fazem a cada mês, uma seleção  diferente de vinhos. A vantagem é que você tem a oportunidade de conhecer vinhos diferentes todos os meses.

O que é Denominação de Origem ?

Denominação de Origem é a classificação dos vinhos de acordo com sua origem.

Por Denominação de Origem (D.O.) podemos entender que é o nome pelo qual são reconhecidos os vinhos regulados por um conselho regulador, e que devem cumprir uma série de requisitos pré estabelecidos por esse conselho, ou seja, são regras de produção em regiões delimitadas garantindo a qualidade do vinho e seu processo de produção.

As classificações e suas normas variam de acordo com cada país produtor vinícola.

Alguns produtores preferem se manter afastados da regulamentação das D.O.s pois assim conseguem ter  liberdade na elaboração dos seus vinhos, e isso não significa que seus vinhos sejam inferiores, pelo contrário, alguns chegam a ser de alta qualidade.

Alguns termos do mundo dos vinhos

Enólogo: é o profissional capaz de realizar atividades relativas aos métodos de cultivo do vinhedo e responsável por toda cadeia de produção do vinho (e derivados do vinho), desde sua elaboração até sua armazenagem e conservação.

Sommelier: é o profissional especialista em vinhos e outras bebidas. Estão presentes em restaurantes e hotéis onde são responsáveis pela compra, armazenamento do vinho na adega, elaboração da carta, realiza o serviço do vinho, faz a recomendação e propõe a harmonização aos clientes.

Enófilo: é a pessoa apaixonada por vinho, que independente da sua formação profissional, porém movido por sua paixão, quer saber sempre mais sobre o fascinante mundo dos vinhos.

Siga aproveitando mais artigos para iniciantes no mundo do vinho. Temos artigos aqui no blog toda semana. E para quem quer se aprofundar um pouco mais sobre o assunto click aqui

Assista também o vídeo sobre esse artigo e muitos outros sobre o envolvente mundo dos vinhos em nosso canal no YouTube.

Salud!!🍷🍷

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!