Uva Tannat: tudo sobre essa variedade

Uva Tannat: tudo sobre essa variedade

Origem

Essa variedade de uva tinta que produz vinhos intensos e tânicos, tem origem no sudoeste da França, na região dos Pirineus Atlânticos, ou seja, entre terras “vasca francesa” e Bearn.

Porém foi no Uruguai que essa variedade encontrou uma particular expressividade.

O nome Tannat vem da palavra occitana tanat que significa tanino, que faz juz a grande tanicidade dos seus vinhos.

Podemos encontrar também outros nomes para essa variedade como: Madiran, Moustroun (na região de Bordeaux) e Harriague (no Uruguai).

A Tannat no Uruguai

A história da viticultura uruguaia praticamente se mistura com a introdução da Tannat nesse país. Essa variedade foi introduzida no Uruguai em 1870 por Pascual Harriague que era natural do País Vasco francês e plantou seu vinhedo na região de Salto.

O cultivo dessa variedade no Uruguai, já superou a produção da França, seu país de origem.

É no Uruguai onde encontramos os vinhedos mais significativos dessa variedade, completamente adaptada ao solo e ao clima, sendo a variedade protagonista da enologia daquele país.

A Tannat na França

Sem dúvida a “nova casa da Tannat” é o Uruguai, porém a França também tem relevância no cultivo dessa variedade. Lá ela é usada em corte com outras variedades, sendo o mais importante, os vinhos de Madiran, uma região pouco conhecida mas com vocação vinícola desde a época romana.

Características da Tannat

É uma das variedades de uva com maior nível de antioxidantes, superior a Cabernet Sauvignon e a Merlot.

As cepas de Tannat são vigorosas e bastante produtivas. Possui cachos bem compactos com uvas esféricas, de tamanho médio e casca fina com coloração violeta escuro.

Encontramos tanto vinhos tintos e rosados monovarietais com muito corpo, como também em cortes com a Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Franc.

A grande presença de taninos (polifenol – substância que dá sensação de adstringência) faz com que seus vinhos tenham muita personalidade e um ótimo potencial de guarda, aliás o envelhecimento, às vezes, se faz necessário e benvindo para domar essa “forte, mas adorável personalidade”.

Degustando seu Tannat

E como dizemos sempre aqui no blog, para ter uma melhor experiência e poder aprender mais sobre as variedades de uva e as características que elas aportam aos vinhos que são produzidos a partir delas, nada melhor que escolher um rótulo de vinho para ir bebendo enquanto lê nosso artigo. Aliás se tiver dúvidas de como escolher seu vinho, temos um artigo e um vídeo aqui no blog com dicas que podem te ajudar como ler rótulos dentre outras, além da nossa assessoria por WhatsApp. Então agora é hora de praticar e descubrir as sensações!

Análise visual: cor vermelho violeta muito intenso, às vezes com tonalidade vermelho granada.

Análise olfativa: seus aromas são de frutas silvestres e do bosque mais maduras, como cereja, amora e mirtilo. Encontramos também notas de especiarias, madeira e chocolate.

Análise gustativa: quando bebemos notamos grande presença, intensidade e boa estrutura. Sensação de adstringência e uma boa persisitência.

Quando jovem: apresenta mais acidez e adstringência (sensação de secura na boca, quando comemos, por exemplo, uma banana verde).

Quando envelhecido: o envelheciemento do vinho em barrica de madeira suaviza esse vinho, diminuindo a adstringência e acidez.

Harmonização com vinhos da variedade Tannat

Como já vimos acima, a Tannat é uma variedade rica em taninos. Por esse motivo sugerimos comidas ricas em gordura e proteína. Dessa maneira a adstringência do vinho vai suavizar a gordura da comida.

  • Parrilla uruguaia ou churrasco: o vinho interage harmoniosamente suavisando a gordura da carne, liberando aromas e sensações incríveis ao paladar.
  • Costela de cordeiro assado: aqui teremos uma harmonização por semelhança, o sabor intenso da carne combina perfeitamente com a potência do vinho.
  • Confit ou magret de pato: taninos jovens e elevado teor alcoólico do Tannat são muito benvindos com esse prato para amenizar a gordura do pato.
  • Queijos: tipo roquefort, gorgonzola, Bleu d’Auvergne, Bleudes Causses e Fourme d’Ambert.

Agora chegou a melhor parte!! Com esse conteúdo bacana sobre essa variedade potente e cheia de personalidade, está na hora de praticar.

Escolha um vinho feito com a Tannat e assista ao vídeo que fizemos sobre essa variedade de uva que já está disponível em nosso canal do YouTube. Como sempre falamos aqui, a melhor maneira de aprender sobre vinhos é bebendo vinho.

Se desejar pode comprar seu vinho on-line com nossos parceiros de forma segura, cômoda e a qualquer hora.

Salud!!🍷🍷!!!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!