Saiba o porque do nome Vinho Verde – Portugal

Saiba o porque do nome Vinho Verde – Portugal

Essa região portuguesa produtora de vinhos singulares, que pelo seu próprio nome, gera uma certa confusão para aqueles que estão começando no mundo dos vinhos. A primeira coisa que se costuma pensar é que essa região só produz vinhos brancos.  Então vamos esclarecer hoje muita coisa sobre essa região encantadora e os vinhos que são produzidos por lá.

O nome Vinho Verde pode ter duas origens:

  • Uma delas seria pelo fato das uvas brancas cultivadas na região terem uma acidez mais acentuada e portanto os vinhos também são mais ácidos, dando uma conotação de vinho verde (uma analogia: fruta verde ou fruta não totalmente madura, é mais ácida);
  • A outra, seria pela própria paisagem da região, com a presença de vários cultivos e com vegetação bem abundante. Portanto, seriam vinhos produzidos em uma região bem verde.

A região vitivinícola do Vinho Verde está localizada a noroeste de Portugal e tem a leste as montanhas do Geres e Marão, a oeste o Oceano Atlântico, ao sul a região de Lafões e ao norte temos o rio Minho separando a região da Galícia (Espanha).

História

As primeiras referências da viticultura na região data da época da dominação romana, onde os vinhos da região foram difundidos por todo o império romano.

No início do século XVI o vinhos dessa região começaram a ser exportados para a Inglaterra através do porto de Viana do Castelo. Nessa época os vinhos das regiões do Vale do Minho e do Vale do Lima eram transportados para o norte europeu nos mesmos barcos que traziam o bacalhau para o sul da Europa.

Em 1908 se dá início as primeiras demarcações das regiões vitivinícolas. Em 1985 se formula a estrutura da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) e em 1959 começa a certificação dos vinhos sob a Denominação Origem Vinhos Verdes.

A Denominaçao de Origem Vinho Verde

Na região vitivinícola Vinho Verde temos:

  • Indicação Geográfica Minho (IG Minho): coincide com a mesma área geográfica demarcada da DO Vinho Verde, porém permite-se uma maior flexibilidade em relação as variedades de uvas e regras de vinificação. Apresenta no rótulo Vinho Regional Minho;
  • Denominação de Origem Vinho Verde (DO Vinho Verde): é o órgão que define e regulamenta as variedades de uvas permitidas de serem cultivadas e vinificadas dentro da região demarcada.

Na região vitivinícola observamos diferentes microclimas e tipos de solos variados, por isso é dividida em nove sub-regiões:

  • Monção/Melgaço
  • Lima
  • Basto
  • Cávado
  • Ave
  • Amarante
  • Baião
  • Sousa
  • Paiva

Clima, solo e geografia

Os vinhedos da região do Vinho Verde estão dispostos de maneiras variadas, sendo a mais peculiar delas o modo de condução chamado “vinhas de enforcado”, onde as videiras crecem trepando em árvores como a castanheira, alcançando grandes alturas o que torna mais trabalhoso o cultivo. Também é utilizada a técnica de pérgula ou “latada”. Porém o mais habitual atualmente são os cultivos em espaldeiras, onde se consegue aumentar a exposição solar dos frutos e consequentemente obter um melhor amadurecimento das uvas.

É uma região vitivinícola marcada pela extrema influência atlântica que devido a orientação dos vales dos rios, permite a penetração dos ventos marítimos.

O clima é bastante húmido, com alto índice pluviométrico e temperaturas frescas.

O solo é granítico, homogêneo, de textura arenosa e franco-arenosa e bastante fértil.

Principais variedades de uva

As principais variedades brancas da DO Vinho Verde são:

  • Alvarinho
  • Arinto (Pedernã)
  • Loureiro
  • Treixadura
  • Avesso
  • Gouveio
  • Semillon
  • entre outras…

Já as variedades tintas vamos destacar:

  • Vinhão (Sousão)
  • Azal Tinto
  • Espadeiro (Trincadeira)
  • Baga
  • Touringa nacional
  • Pedral
  • entre outras…

Tipos de vinhos e principais características

Os Vinho Verde podem ser vinhos monovarietais (feitos a partir de uma só variedade de uva) ou um assemblage (corte de duas ou mais variedades) de castas selecionadas e permitidas na região.

Em geral o Vinho Verde é fresco, bem frutado, aromático e com uma acidez relevante (devido ao terroir). Pode apresentar a presença discreta de gás carbônico. No caso dos vinhos elaborados com a variedade branca Alvarinho, apresentam um grande potencial para o envelhecimento.

A elevada acidez é minimizada com a fermentação maloláctica, que consiste em transformar o ácido málico (bastante duro) em ácido láctico (mais macio).

Os tipos de vinhos produzidos na Denominação de Origem Vinho Verde são:

  • Vinhos brancos: bem aromáticos, frutados e florais e marcados por seu grande frescor.
  • Vinhos rosados: vinhos jovens com aromas de frutas vermelhas e bem frescos.
  • Vinhos tintos: aromas de frutas silvestres, frescos e intensos em boca e podem apresentar uma espuma rosada ou vermelha.
  • Vinhos espumantes: frescos, aromáticos e complexos. Podem ser Brut Nature ou Doces em relação ao teor de açúcar residual e Reserva ou Gran Reserva dependendo do tempo de evolução em garrafa.

Portanto em geral o Vinho Verde é fresco, aromático e equilibrado e no caso dos vinhos elaborados com a variedade branca Alvarinho, apresentam um grande potencial para o envelheciemnto.

Degustando um Vinho Verde

Beber vinho é a maneira mais gostosa de aprender sobre vinho. Dessa forma fica mais fácil perceber as característivas das variedades de uvas e como o terroir influencia no vinho.

Hoje vamos tomar um Vinho Verde da sub-região do Lima. Ele é um vinho branco monovarietal Loureiro, orgânico de 2018.

Análise Sensorial (o que o vinho desperta através dos nossos sentidos):

  • Cor: amarelo palha mais intenso;
  • Aroma: bem aromático e intenso, com toques de raspa de limão e de ervas, como louro;
  • Gosto: bem fresco em boca, com acidez elevada e corpo leve.

Harmonização

Sabemos que o barato da harmonização é realçar a textura e os sabores presentes na comida e no vinho, ou seja, o que buscamos é uma boa sensação quando eles se juntam.

Lembramos sempre que você procure também novas combinações e experiências agradáveis ao seu paladar.

Agora vamos dar algumas sugestões de combinação de comidas com Vinho Verde.

Devido a acidez desse vinho, fica delicioso com frutos do mar em geral, saladas com molhos mais ácidos e com pratos ao molho cremoso (aqui a acidez do vinho ajudará a limpar a gordura presente no molho).

  • Polvo assado na brasa
  • Camarão ao molho de creme de leite
  • Moules á la crème
  • Salada ao molho balsâmico
  • Peixe ao molho de limão e ervas
  • Queijos como Brie e Camembert

Agora você já conhece os vinhos famosos e refrescantes do Vinho Verde, sugiro que coloque em prática bebendo os vinhos dessa região, tanto os brancos como os tintos.

Temos também disponível o vídeo que fizemos em nosso canal do YouTube. Confere lá!

Salud!! 🍷🍷

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário