Vinhos da Moldávia e suas incríveis vinícolas subterrâneas

Vinhos da Moldávia e suas incríveis vinícolas subterrâneas

Vou começar esse artigo dizendo que Moldova é um verdadeiro paraíso da viticultura e da enologia. É um país reconhecido por seus vinhos. Então, para os amantes do vinho e tudo que se relaciona com esse assunto, já podemos ter uma idéia do que vamos ler a seguir. E posso te garantir que vai ser uma delícia saber mais sobre esse país que tem uma das melhores coleções de vinhos do mundo.

Moldávia (antiga Besarabia), também chamada Moldova, é um país que respira vinho e está localizado ente a Romênia e a Ucrânia, e fica a uma distância de 40 km do Mar Negro. Fazia parte da antiga União Soviética e se tornou um país independente em 1991 e cuja capital é Chisinau.

Com uma extensão territorial de um pouco mais de 33 mil Km, seus vinhedos ocupam quase 4% do território e ¼ da população ativa se dedica ao vinho.

Os vinhos e suas histórias                           

Moldova tem uma história ligada ao vinho de mais de 2.000 anos, com um rico patrimônio vitivinícola onde são cultivadas em torno de 100 variedades de uvas.

As primeiras videiras foram levadas para esta região pelos gregos entorno do ano 300 a.C.

A tradição do cultivo foi mantida durante o domínio da região pelos godos (povo gemânico procedente da Escandinávia) e pelos hunos (povo de origem asiática que habitou o território entre o rio Volga até o Danúbio).

Durante os séculos XVI e XVIII, a região fez parte do Império Otomano, e nessa época não houve desenvolvimento da cultura do vinho por motivos religiosos.

Já no século, XIX os czares russos anexaram a região e promoveram um grande desenvolvimento da viticultura que foi favorecida com a importação de algumas variedades francesas que tiveram uma ótima adaptação na região.

Moldova modernizou a atividade vinícola após a segunda Guerra Mundial, porém durante o governo de Gorbachov houve uma diminuição dos vinhedos devido as restrições impostas ao consumo de bebidas alcoólicas.

Após o fim do bloqueio soviético até os dias atuais, os vinhos dessa região tem evoluído bastante.

Geografia, solo e clima

Um dos fatores que contribuem para o excelente desenvolvimento da viticultura em Moldova é sua localização na mesma latitude de outra famosa região vitivinícola do mundo, a Borgonha.

  • Geografia: favorece muito o cultivo da videira, apresentando um relevo diverso com planaltos bastante ensolarado, colinas mais baixas e planícies férteis e bem ventiladas, por onde passam os rios Nistru e Prut que desembocam no Mar Negro.
  • Solo: encontramos em grande parte do país um tipo de solo preto chamado chernozem rico em húmus (material orgânico decomposto em partículas pequenas).
  • Clima: devido a proximidade com o Mar Negro, Moldova apresenta um clima continental com verões quentes e invernos secos e temperados. As precipitações (chuvas) são em média de 500 mm ao ano.

Variedades de uvas cultivadas

As variedades cultivadas em Moldova são em sua maioria as Vitis vinífera brancas como a Rkatsiteli, Sauvignon Blanc, Chardonnay, Aligote entre outras. Entre as tintas encontramos a Cabertnet Sauvignon, Merlot, Pinot Noir, Saperavi, etc.

A utilização de uvas indígenas como as Feteascå Albå, Feteascå Neagrå e Rarå Neagrå, torna os vinhos de Moldova autênticos e singulares.

  • Feteascå Albå: os vinhos feitos com essa uva podem ser secos e semi-secos com textura fina e aromas florais e frescos. O grau alcoólico geralmete fica entre 12,5% e 13%.
  • Feteascå Neagrå: essa variedade é típica da região do rio Prut e a com ela se produz vinho seco, semi-seco e doce com aromas de uvas passas e frutas do bosque. É consistente e com acidez bem equilibrada.
  • Rarå Neagrå: essa uva é muito bem adaptada ao sul de Moldova, que apresenta um seu clima quente.  Era cultivada pelos antepassados dos moldavos de hoje. Os vinhos elaborados com essa uva tem acidez um pouco mais elevada fazendo com que esses vinhos tintos tenham mais frescor. Costumam ter um grau alcoólico entorno de 10 a 11,5% e um sabor de frutos secos e baunilha.

Denominações de Origem

Moldova tem 4 regiões vitivinícolas: Balti, Codru, Stefan-Voda e Valul Lui Traian, em uma área com 149.000 ha de vinhedos que foram criadas com o intuito de aproveitar ao máximo o potencial de cada região produzindo vinhos de qualidade.

  • Balti: é a menor e está localizada ao norte do país a uma altitude que varia entre 200 a 250 metros de altura acima do nível do mar. Nesta região grande parte das uvas estão destinadas à produção de grapa.
  • Codru: as condições climáticas dessa região com clima continental, verões quentes e invernos longos não muito frio e sua proximidade do Mar Negro, faz com que as colheitas sejam especiais. Aqui são cultivados 50% dos vinhedos do país onde a maioria das variedades plantadas são brancas. As duas maiores vinícolas do mundo (vamos falar sobre elas mais adiante) se localizam nessa região.
  • Stefan Voda: com terras banhadas pelo rio Nistru, sofre grande influência do Mar Negro onde o clima predominante é continental moderado. Fica a uma altitude de 60 a 70 metros. O clima dessa região favorece o cultivo de variedades tintas, principalmente a autóctona Rarå Neagrå. E é dessa região um dos vinhos mais famosos de Moldova, o Negru de Purcari elaborado com as variedades Cabernet Sauvignon, Saperavi e Rarå Neagrå.
  • Valul Lui Traian: a maioria dos vinhedos estão localizados na colinas dessa região que apresenta um clima seco com verões quentes e invernos curtos. O solo é arenoso e argiloso. Todas essas características climáticas e do solo favorecem um bom amadurecimento das uvas, principalmente a Merlot, Cabernet Sauvignon e Pinot Noir. São dessa região os vinhos de sobremesa mais famosos de Moldova, os Cahor.

Principais vinícolas

Moldova guarda em seu subterrâneo uma maravilha para quem se encanta com o mundo dos vinhos. No subsolo de Cricova (situada perto de Chisinau, capital de Moldova) encontramos gigantescas vinícolas subterrâneas. As vinícolas estatais de maior importância são Milestii Mici e Cricova que dispõem de um complexo de galerias subterrâneas que foram escavadas antigamente para a retirada de pedras de calcáreo que foram usadas nas construções da cidade de Chisinau. Esses túneis abrigam hoje uma impressionante quantidade de barris e garrafas de vinhos. Por exemplo, a vinícola Milestii Mici tem uma coleção com 2 milhões de garrafas e barris e Cricova com 1 milhão.

  • Milestii Mici: é a maior vinícola de Moldova e foi fundada em 1969 com a finalidade de elaborar vinhos de alta qualidade. Exportam para vários países vinhos Cabernet, Aligote, Cahor e Muscat. 
  • Cricova: a vinícola se situa ao norte de Chisinau que nos anos 50 se transformou num empório subterrâneo de vinho. É a segunda maior vinícola de Moldova e suas ruas subterrâneas tem até sinal de trânsito! Cricova elabora um espumante tinto de Cabernet Sauvignon que dizem ser o único espumante tinto do mundo.
  • Basvinex ou Basarabia Wine Export: a vinícola foi fundada em 1996 onde incorporou os vinhos Romanesti e Branesti que eram apreciados desde 1878 pela corte do Império Russo. Os rótulos Romanesti são elaborados com as variedades Sauvignon Blanc, Cabernet Sauvignon, Merlot e Chardonnay. Além dos Romanesti a vinícola também produz Lambrusco, Cognac e uma linha chamada Blue Elephant.
  • Fautor: outra vinícola familiar bem importante de Moldova cujo nome vem do latím autor, para enfatizar a importância do enólogo e sua busca contínua pela qualidade dos vinhos. Foi fundada em 1997 e seus vinhedos estão localizados na zona de Tigheci (região de Valul Lui Traian) que possui excelentes condições para o viticultura, sendo as internacionais Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Riesling, Aligote e Pinot Noir as principais variedades cultivadas. Entre as variedades nativas destacamos Feteasca Ragala e Feteasca Neagra além da recém introduzida Albariño, que tem duas versões: um rótulo monovarietal e outro que é um corte com a Sauvignon Blanc e Pinot Gris.
  • Castel Mimi: Constantin Mimi foi o último governandor da Besarabia e era também enólogo. Ele estudou viticultura na França, de onde trouxe várias variedades européias que foram introduzidas em Moldova. Em 1901 ele fundou o Chateua Mimi, uma vinícola conhecida por seus vinhos de alta qualidade.
  • Asconi Winery: é um vinícola fundada em 1994 e possui 600 hectáres de vinhedos onde mesclam variedades autóctonas (nativas) com variedades internacionais elaborando vinhos tintos, brancos, rosés, ice wines e vinhos fortificados. O curioso é que seus vinhos não são vendidos em Moldova, sua produção é exportada para países europeus, americanos e para a Austrália. Em Moldova só se vende os vinhos Asconi na loja da vinícola.

O mundo do vinho é mesmo fascinante! É muito prazeroso aprender algo relacionado ao vinho e ainda sobre a região em questão.

Caso tenha ficado interessado e pensa em conhecer esse país e seus vinhos, você pode começar a planejar sua viagem. Aqui no blog temos tudo que você precisa para fazer seu planejamento sem esquecer de nenhum detalhe. Basta acessar nossas Dicas para sua viagem, um passo-a-passo completo.

Confira nosso vídeo sobre os vinhos dessa região disponível em nosso canal no YouTube.

Confere lá.

Salud 🍷🍷!!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!