Variedade de uva: Garnacha

Variedade de uva: Garnacha

Vamos falar hoje de mais uma variedade de uva. E para que saber sobre os tipos de cepas?

Simplesmente porque existe uma diversidade imensa de uvas que são a matéria prima para elaboração dos vinhos. E cada uma dessas variedades de uva tem suas características particulares que darão ao vinho também caráter distinto. 

É importante sabermos que a tipicidade de cada vinho não depende exclusivamente das diferentes cepas. Tem muitos outros fatores que influenciam no carácter do vinho. 

Porém conhecer as características das variedades já é o começo do caminho para entender o vinho.

Então hoje trazemos informações sobre a Garnacha, essa uva pra lá de saborosa e com muita personalidade. Vamos falar sobre as suas principais características e dos os vinhos feitos a partir dela, as regiões que a cultivam e qual sua origem.

A Garnacha apresenta algumas variações: assim podemos encontrar a Garnacha Tintorera, a Garnacha Peluda, a Garnacha Branca, permitindo que se elabore vinhos tintos, brancos ou rosés. 

Hoje portanto vamos falar sobre a Garnacha Tintorera, que é uma variedade tinta, e recebe esse nome porque a sua polpa apresenta pigmento colorido, diferente das outras variedades tintas na qual o pigmento responsável pela cor está presente somente na casca.

Os vinhos da Garnacha (Grenache) geralmente são:

  • De corpo médio (teor alcoólico moderado)
  • Frutados: frutas vermelhas e pretas (morango,  ameixa, amora, cereja) mais maduras ou em compota
  • Taninos e acidez moderados
  • Elegante 
  • Vinhos jovens: são mais frutados
  • Boa capacidade para envelhecer.

Dependendo da região apresentam características distintas:

  • Regiões mais quentes: são vinhos mais alcoólicos e mais frutados (frutas negras)
  • Regiões mais frias: são vinhos de corpo mais leve, com aromas mais herbáceos e tabaco. 

É uma cepa que se adapta muito bem a vários tipos de solos, muito resistente à climas secos e apresenta amadurecimento médio-precoce. 

Até pouco tempo, a origem conhecida da Garnacha Tintorera era a região de Aragón, no leste da Espanha, se expandiu durante o século XII e XVII pela França e Itália e posteriormente chegando ao Novo Mundo (Austrália, Chile, EUA, África, etc…). Porém alguns estudos atuais tem demonstrado a existência dessa cepa na Sardenha (Itália) desde 3200 anos atrás. 

Como ocorre com várias outras cepas, a Garnacha também recebe outros nomes de acordo com a região. Portanto podemos encontrá-la como Alicante Bouschet, Cannonaddu, Grenache,… 

É cultivada em várias partes do mundo:

  • Espanha: quase em todo o país se cultiva Garnacha. Destacamos as regiões do Priorat, Calatayud, Madrid, Navarra, Rioja, Aragón, etc. 
  • França: onde é chamada de Grenache, nas regiões de Côtes Du Rhône, Châteauneuf-Du-Pape, Languedoc-Roussillon 
  • Itália: Sardenha
  • Austrália: regiões ao sul
  • E.U.A.: Califórnia, Columbia Valley, Washington

Agora que você já tem bastante informação sobre a Garnacha é hora de praticar, pois não tem como aprender sobre vinhos sem beber vinho. 

O exercício que sugerimos é você beber dois ou mais vinhos varietais de Garnacha (só elaborado com a cepa Garnacha) de regiões distintas (preferencialmente com climas diferentes). A medida que for bebendo, preste atenção nos aromas e sabores e anote tudo. 

Se você está começando no mundo do vinho, não se preocupe com as palavras para definir o vinho. Vai anotando os aromas e sabores que você consegue realmente perceber. E siga aprendendo. Caso tenha alguma dúvida é só nos enviar um WhatsApp com sua pergunta. 

Bons vinhos 🍷🍷

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

*

3 Comentários